Duarte Fernandes assume Governadoria do Distrito de Rotary 4580

7 jul

A cidade de Juiz de Fora volta a ser sede de distrito de Rotary neste ano de 2108-2019. Assume a função de governador o Médico cardiologista Duarte Cesar Silveira Caldeira Fernandes, membro do Juiz de Fora Norte, que passa a ser responsável por 40 clubes que abrangem a região da Zona da Mata e Campo das Vertentes. O último governador de Juiz de Fora* havia sido o advogado José Antônio de Cúgula Guedes, em 2009-2010, também do Rotary Juiz de Fora Norte.

01-duarte materia blog

Duarte Cesar

Duarte fala que se sente feliz por “estar no papel de governador”, mas destaca que é mais um dos tantos rotarianos que se engajam nas causas sociais para resolver “problemas reais.  Somos voluntários em ação, trabalhando em projetos sustentáveis em diversas áreas, como alfabetização, paz, saúde e recursos hídricos, estamos sempre procurando maneiras de criar um mundo melhor”.

O Rotary existe desde 1905 e é sustentada por mais de um milhão e duzentos mil habitantes no mundo, com parcerias sólidas no combate à Poliomielite, ao socorro em catástrofes e ao fornecimento e uso de água potável.

Duarte Cesar Silveira Caldeira FernandesS, é do Rio de Janeiro, nasceu 27/11/1945, formou-se em Medicina pela Universidade Federal Fluminense. Especializou-se em cirurgia vascular pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, tendo exercido os seus conhecimentos como cirurgião vascular no Hospital da Lagoa, no Rio de Janeiro. Especializou-se em Medicina do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO). Realizou curso de especialização em Administração Hospitalar na Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ. Cursou especialização em Gestão de Saúde e Gestão de Recursos Humanos pela Escola Nacional de Saúde Pública da FIOCRUZ. Exerceu a função de professor convidado na PUC – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Foi também professor na UERJ – Universidade Estadual do Rio de Janeiro e na Escola de Comando e Estado Maior do Exército Brasileiro. Em 2009, cursou o 21° CEP pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – ADESG. Foi agraciado com o título de Professor Emérito pela Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Exerceu a função de Diretor da Santa Casa de Lima Duarte no período de 2005 a 2011. Integra, como representante, o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais.

No Rotary

Assembleia do Distrito 4580 - Maio 2018

Assembleia do Distrito de Rotary 4580 – Maio 2018

Duarte Cesar Silveira Caldeira Fernandes entrou no Rotary em outubro de 2001, pelo Rotary Club Juiz de Fora – Norte. Em 2007 fundou o Núcleo Rotário na cidade de Pedro Teixeira e o Rotary Club de Lima Duarte. Possui o título de “companheiro Paul Harris”.

Duarte é casado com Mary Cortes Fernandes, há 48 anos. Ela também rotariana pelo Rotary Club Juiz de Fora — Norte. O Casal possui três filhos: Marcelo Cortes Fernandes, engenheiro; Guilherme Cortes Fernandes, casado com Juliana Samuel Côrtes Fernandes, médico infectologista, pesquisador e rotariano e Luciana Cortes Fernandes Linhares, pedagoga, casada com Ricardo Linhares. Tem cinco netos: Cecília, intercambiária do Rotary junto ao Distrito 1620 – Bélgica; Thiago, Alice, Lucas e Camille.

*Ex-Governadores do Distrito 4589 de Juiz de Fora

—————- – Paulo Brandão – Rotary Juiz de Fora
—————  – Adair Messias – Rotary Juiz de Fora
1977-1978 – Maurício Miranda Teixeira – Rotary Juiz de Fora
1980-1981 – Lauro Coelho de Andrade – Rotary Juiz de Fora Note
1983-1984 – José Raphael de Souza Júnior – Rotary Juiz de Fora Norte
1987-1978 – João Pedrosa Castelo –  Rotary Juiz de Fora Norte
1994-1995 – Aloísio Felet – Rotary Juiz de Fora Sul
1997-1999 – Carlos Adolpho Pereira – Rotary Juiz de Fora
2000-2001 – Waldyr Andrade – Rotary Juiz de Fora Sul
2002-2003 – Antônio Celso – Rotary Juiz de Fora Industrial
2005-2006 – Roberto Kamil – Rotary Juiz de Fora Sul
2006-2007 – José Eduardo Medeiros – Rotary Juiz de Fora
2009-2010 – José Antônio Cucula Guedes –  Rotary Juiz de Fora Norte

Anúncios

João Carlos Batista assume Presidência do Rotary Club Juiz de Fora Norte 2018/19

3 jul

A nova Presidência e Conselho Diretor do Rotary Club Juiz de Fora Norte assumiram oficialmente os cargos para a gestão 2018-2019 em cerimônia de posse realizada no Gran Victory Hotel. A cerimônia marca, o início do novo ano rotário 2018-2019, onde Fábio Antônio Pereira transferiu as responsabilidades de Presidente do Rotary Club Juiz de Fora Norte a João Carlos Batista

Em seu discurso de posse agradeceu a oportuniade de “abraçar o desafio, voltado para construir o futuro com visão e ações direcionadas a construir um mundo melhor e realizar o sonho do nosso Club”. João Carlos Batista é empresário, consultor, natural de Belo Horizonte, casado com a médica Tatiana Vieira Coelho Batista e participa do Rotary desde 2014.

Fábio Antônio Pereira, que passou o cargo, disse experimentar a sensação de dever cumprido e que sentirá “o vazio da saudade da função”. No entanto, está certo de continuar o trabalho em outras atividades no Clube: “Passei a conhecer e entender melhor a grandeza do Rotary, com o carinho e amor e me sinto mais confortável ainda para continuar colaborando nas próximas gestões”, afirma o presidente 2017-2018.

WhatsApp Image 2018-07-07 at 19.00.18

João Carlos Batista e Tatiana à esquerda e Fábio Pereira e Maria das Graças do Nascimento Ribeiro Pereira à direita

WhatsApp Image 2018-07-07 at 19.00.01

Fábio passa a Presidência a João Carlos

WhatsApp Image 2018-07-07 at 18.58.53-2

Membros da gestão: Fábio Pereira, Manoel Lopes, João Pedrosa Castelo, Maria Aparecida Bara, Marion Gomes, Antônio Rotondo, Jarbas de Souza, Rafael Bez e o Presidente João Carlos Batista

WhatsApp Image 2018-07-07 at 18.55.52

João Carlos faz seu discurso de posse na Presidência do Rotary Juiz de Fora Norte

WhatsApp Image 2018-07-07 at 18.55.45

a professora e jornalista Cristina Musse, também participante do Rotary, fez o discurso de recepção do novo presidente.

Ação humanitária do Rotary Internacional leva profissionais de saúde ao Malawi

26 jun

Rotary Internacional leva equipe de profissionais da saúde para Malawi em missão humanitária.  O coordenador da equipe Médica desta ação é o Dr. Guilherme Côrtes Fernandes,  infectologista professor da Faculdade de Medicina da Unipac e membro do Rotary. O trabalho faz parte dos Times de Treinamento Vocacional (VTT, em inglês). A missão acontece em setembro e vai treinar e educar profissionais e agentes comunitários da saúde em localidades de vulnerabilidade social e econômica.

34556347_1807147402682763_4910676382872240128_n

O infectologista Guilherme Côrtes Fernandes explica a importância de um projeto de capacitação de profissionais

A parte operacional da atividade está toda custeada. No entanto, a equipe brasileira procura arrecadar mais fundos para poder levar mais equipamentos, medicamentos e mosquiteiros contra a malária nas zonas de atendimento. Assim, organizou-se uma campanha de financiamento coletivo online, onde as pessoas podem se tornar apoiadores do projeto com o valor que puderem. Guilherme explica que, atualmente, as doações são feitas apenas em dinheiro por motivo de transporte, alfândega para entrar no país e para estimular o comércio local no Malawi, além de se certificar que haverá manutenção local para o equipamento doado.

Os atendimentos e treinamentos da missão terão foco nestas áreas de doenças tropicais e nas referentes ao parto. Guilherme lembra o Malawi é um dos países mais pobres do mundo, e as doenças que mais matam lá são as infecciosas e as relacionadas ao parto -seja por complicações ou até mesmo à morte da mãe ou do bebê. As ações de Rotary nestas regiões são vitais para diminuir a miséria de regiões negligenciadas. “Nós fazemos parte de um mundo globalizado e e ele hoje é é importante acrescentar ações humanitárias neste processo”, destaca. 

O projeto no Malawi tem como objetivo treinar profissionais de saúde durante uma semana em um hospital em Lilongwe, capital do país. E posteriormente atender em uma escola interna para meninas na área rural do Malawi, dando atenção à comunidade ao seu entorno. A equipe conta com profissionais dos Estados Unidos, Brasil e Uganda, sendo estes últimos capacitados pelo próprio programa em outros anos.

Screen Shot 2018-06-26 at 18.15.54

Malawi

Para doar acesse a campanha de financiamento coletivo: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/treinamento-de-profissionais-de-saude-malawi

Para todas as doações recebidas, mais 50% do valor será dado pelo Rotary Internacional ao projeto.

Assista abaixo ao projeto de Times de Treinamento Vocacional (VTT) realizado em Uganda:

Rotary Club Juiz de Fora Norte entrega 320 enxovais à Maternidade Viva Vida

23 maio

A Equipe da Maternidade Viva Vida, do Hospital João Penido, esteve no Rotary Juiz de Fora Norte, para receber 320 kits com enxovais para recém-nascidos. O Rotary realiza essa doação anual, desde 2012. Neste ano, contou com fundos arrecadados em um show de prêmios organizado pelos rotarianos. Os kits, que contam com luvas, toucas, bodies, cobertores e toalhas, são doados para as mães em vulnerabilidade econômica e social e que não poderiam oferecer este primeiro cuidado aos bebês.

34531453_1807149142682589_4050284087183671296_n

Rotary Club Juiz de Fora Norte entrega kits de enxoval à equipe da Maternidade Viva Vida

Os kits foram recebidos pela equipe da Maternidade, representada pela coordenadora Dircelene Alves Cardoso, pelo médico coordenador da área de obstetrícia Rodney Magalhães e pela assistente social Heloísa Helena do Vale.

Assistente social, Heloísa do Valle

A coordenadora Dircelene agradece a parceria com o Rotary Club Juiz de Fora Norte, estabelecida desde 2013, e reforça a importância da parceria. Em seu agradecimento, Heloísa destaca a importância do kit para as mães que os recebem “às vezes elas não têm uma roupa sequer para colocar no filho delas que acabou de nascer. E quando elas olham esse kit acham que é a coisa mais linda do mundo, e é. Porque elas não tinham nada”.

Coordenadora da Maternidade, Dircelene A. Cardoso

O presidente Fábio Antônio Pereira ressaltou a importância do projeto para o Rotary Club Juiz de Fora Norte e o compromisso do curso em dar continuidade à iniciativa nos próximos anos.

 

 

Jornalista narra como investimentos em educação fizeram da Costa Rica o país mais feliz da América Latina

22 mar

A palestra “A Suíça Centro Americana: Costa Rica” levou ao Rotary Juiz de Fora Norte a costarricense Marcela Matamoros. Ela contou sobre os investimentos de 80% da renda per capita em educação e saúde feitos pela Costa Rica, que permitiram o aumento no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Marcela é jornalista e doutora em tecnologias para ensino do espanhol. Veio para o Brasil em 1977 para estudar jornalismo e aqui, depois da formatura, voltou para residir em 1984.

A jornalista costarricense Marcela Matamoros apresenta a Costa Rica.

A jornalista costarricense Marcela Matamoros apresenta a Costa Rica.

Em 1948 as Forças Armadas foram dissolvidas pelo presidente José Figueres Ferrer, e batalhões foram substituídos por escolas. Segundo Marcela, a dissolução do Exército foi fundamental por permitir a substituição de gastos do Estado. Por isso, a Costa Rica se orgulha em ter “mais professores que soldados”, indo sempre em defesa dos interesses do país. Aproximadamente 99,9% dos costarricences são alfabetizados, e o governo arca inclusive com materiais escolares, alimentação e uniforme nas escolas, que contam ainda com médicos e dentistas próprios para o atendimento às crianças. A educação, no entanto, sempre foi um assunto bastante recorrente na história do país:

Colônia espanhola, a Costa Rica era o território mais distante da capital de sua capitania, a da Guatemala durante o século XVI, o que colaborou para que o pequeno país de 51,100 km² recebesse pouca atenção da Espanha. Aos poucos, estrangeiros como alemães, ingleses, suíços, italianos e espanhóis chegaram à colônia para se estabelecerem. Como não havia escravos na terra, os estrangeiros entraram em acordo com os nativos para a construção de edifícios, entre eles escolas. Os indígenas exigiram, no entanto, que seus filhos pudessem estudar na mesma escola que os filhos dos imigrantes, e assim foi feito. A relação entre nativos e europeus era mais amigável que no Brasil, por exemplo, através de um intercâmbio social e da troca do trabalho pela educação. Esta troca, conforme explicada por Marcela Matamoros, “permitiu uma relação dos costarricences com a Europa muito mais de admiração que de resistência como em outras colônias da América Latina”.

FullSizeRender

A palestra, realizada no Rotary Club Juiz de Fora Norte, explica os investimentos em educação no país.

A Costa Rica lidera a paz nas terras da América Central e é um país amplamente envolvido em negociações de paz entre nações, sediando inclusive a Corte Interamericana de Direitos Humanos e Desenvolvimento Humano. Em 1987, o presidente Óscar Arias recebeu um Nobel da Paz em reconhecimento por propor um acordo de paz para a América Central. Essa paz social se reflete nos indicadores sociais, um dos maiores Índices de Desenvolvimento Humano da América Latina e o mais alto para países com o mesmo nível de renda, como destacou o relatório da ONU de 2010.

Rotary Club Juiz de Fora Norte faz reunião pelo Dia da Mulher

8 mar Mesa de trabalho com as mulheres presentes à reunião

Uma reunião dedicada às mulheres, em virtude do 8 de Março, dia Internacional da Mulher.  A homenagem teve palestra feita pela Promotora de Justiça Nicole Frossard De Filippo e, para marcar a data, todas as mulheres presentes participaram da mesa de trabalhos,  conduzida pelo presidente  Fábio Antônio Pereira.

28878954_1717173558346815_223865026_o

A promotora Nicole De Filippo compartilha sua experiência profissional em palestra

As mulheres foram inicialmente admitidas em um Rotary Club no ano de 1987, e em 1989 clubes de todo o mundo passaram a receber mulheres em seus quadros associativos, acrescentando suas experiências, vivências e ideias. No Rotary Juiz de Fora Norte elas são dentistas, farmacêuticas, jornalistas, donas de casa,  cada uma com um ponto de vista singular a ser celebrado todos os dias.

Manifestaram-se Maria Aparecida Bara, presidente do Rotary Club Juiz de Fora Norte 2016/2017 e a interactiana Cíntia Nobre, que lembraram a data e as conquistas femininas ao longo da história e no Rotary Internacional. 

28945529_1717174278346743_1663477843_o

A Interactiana Cíntia Nobre

28877194_1717174248346746_50825311_o

A presidente do Rotary Juiz de Fora Norte 2016/2017 Maria Aparecida Bara

Apesar dos avanços conquistados pelas mulheres ao longo das décadas, a promotora criminal Nicole De Filippo, destacou que estas mudanças devem ser lembradas para buscar a igualdade entre homens e mulheres pois, enquanto existir a desigualdade, existirá a violência: “O Dia Internacional da Mulher é um dia que deve ser comemorado sim, mas principalmente para que nós não esqueçamos de lutar, porque o número de homicídios, de feminicídios, número de estupros, de assédios, de agressões, continua alto. Como sempre foi”.

A promotora explica que a violência contra a mulher,  ocorre antes mesmo dela nascer. E isso reforça a construção de um pensamento internalizado, de que a violência como algo normal.  A violência contra a mulher extrapola os limites do convívio familiar e torna a sociedade ainda mais violenta. É um problema que deve ser de preocupação para todos e todas e é muito importante os Clubes de Rotary também empunharem esta causa.

Promover  a segurança e igualdade das mulheres e das famílias é uma forma de combater a violência.

Mesa de trabalho com as mulheres presentes à reunião

Mesa de trabalho com as mulheres presentes à reunião

Interact protagoniza o desenvolvimento de lideranças jovens

20 dez

Um dos propósitos do Rotary é estimular e fomentar o “Ideal de Servir”. Seu legado ultrapassa os limites das entidades beneficiadas. Entre as maiores realizações da organização está o desenvolvimento das pessoas.

Dentro dos programas do Rotary Internacional há, além do Rotary, o Rotaract, composto jovens de 18 a 30 anos e o Interact, integrado por adolescentes de 11 a 18 anos. E é nos primeiros passos da vida rotária, ainda no Interact, que a formação de lideranças têm início.

A reunião do Rotary Club do Juiz de Fora Norte do dia 14 de novembro contou com presenças jovens: Lucas Zini Ribeiro, presidente da Comissão Nacional de Projetos do Interact Brasil e Marcelo Reis, integrante do Interact Club de Espera Feliz, ambos com apenas 17 anos de idade.

23825449_1515547511826971_325962140_o

Maria Aparecida de Oliveira Barra, João Carlos Batista, Fábio Antônio Pereira, Lucas Zini Ribeiro e Marcelo Reis.

Na ocasião, o presidente apresentou aos rotarianos os objetivos do Interact, bem como o panorama da organização no mundo: hoje, são 22.113 Interacts Clubs espalhados por 161 países, o que soma um total de 508.599 interactianos.

Isso significa que são mais de meio milhão de adolescentes desenvolvendo projetos sociais e, consequentemente, habilidades como liderança, oratória e responsabilidade social.

Potencialidades interactianas

Uma pesquisa sobre a Geração Z, conhecida como a população nascida em meados dos anos 1990 e 2000, mostra que a maior parte dos jovens é pessimista quanto ao futuro.

O estudo mostrou que os jovens brasileiros são os que mais apresentam sentimentos de desmotivação. O estudo Geração Z: pesquisa da cidadania global entrevistou 20.088 jovens de 20 países, com idades entre 15 e 21 anos, e mapeou as prioridades profissionais, os valores pessoais e de cidadania desse grupo.

O ranking de bem-estar dos jovens foi medido pela escala Warwick-Edimburgo de Bem-Estar Mental, no qual o jovem deveria atribuir notas de 1 a 5 a cada resposta sobre experiências pessoais. Quanto mais alta a avaliação, maior o nível de bem-estar.

Diante deste cenário de desmotivação dos adolescentes brasileiros, integrar movimentos sociais e estudantis é uma alternativa para que eles não só desenvolvam seu papel social, mas também adquiram maturidade.

Entre as principais habilidades desenvolvidas pelos jovens que integram o Interact também é possível citar a responsabilidade financeira e a capacidade analítica e crítica.

23798573_1515547451826977_370575338_o

Lucas Zini Ribeiro, presidente da Comissão Nacional de Projetos do Interact Brasil, apresenta as realizações do Interact para os rotarianos.

Lucas destacou que, ao desenvolver projetos sociais em equipe, o interactiano é capaz de crescer pessoalmente e profissionalmente: “O Interact é formado por jovens que não vivem em uma bolha social”, destaca.

Todo Interact Club realiza dois projetos sociais por ano. As suas atividades são comandadas por uma diretoria, responsável por liderar e organizar os projetos. Cargos como presidência, secretaria e tesouraria exigem que os jovens desenvolvam as habilidades supracitadas.

Movimentos universitários também são destaque na formação de lideranças

Além do Interact, outras organizações são destaque no desenvolvimento de lideranças jovens, como o Movimento Empresa Júnior (MEJ).

Uma empresa júnior consiste em uma organização sem fins lucrativos, presente em um curso universitário, por meio da qual estudantes universitários desenvolvem projetos reais para micro e pequenas empresas e para a comunidade.

Essas organizações permitem que os jovens coloquem em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula e desenvolvam habilidades relativas à gestão organizacional, gerenciamento do tempo e trabalho em equipe.

O Movimento Empresa Júnior é representado no Brasil pela Confederação Brasileira de Empresas Juniores, a Brasil Júnior. Segundo dados da confederação, o Brasil conta com mais de 510 empresas juniores nas universidades que, juntas, reúnem mais de 16 mil empresários juniores que desenvolvem, por ano, cerca de 6.000 projetos.

Minas Gerais é o estado brasileiro com maior expressividade no MEJ – das 510 empresas juniores, 82 estão localizadas no estado.

Interact Club Juiz de Fora Norte é retomado

No último domingo, 19 de novembro, ocorreu na sede do Rotary em Juiz de Fora a cerimônia de posse do Interact Club.

O clube retoma as suas atividades após um período de recesso, composto agora por 6 membros, que se reunirão todos os domingos para desenvolver novos projetos sociais.

Urologista do Hospital Universitário da UFJF sobre o câncer de próstata

28 nov

O urologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora Humberto Lopes fez palestra sobre os cuidados com a saúde do homem na reunião do Rotary Juiz de Fora Norte.

O foco da palestra foi o diagnóstico e prevenção do câncer de próstata. Novembro Azul é uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades no mês de novembro dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata.

24167541_1521958317852557_1812244380_o

O urologista Humberto Lopes apresenta palestra sobre a saúde do homem no Rotary Club Juiz de Fora Norte

Lopes alertou sobre a incidência do câncer de próstata na população masculina. Este é o segundo câncer mais comum em homens, chegando a registrar 62.000 novos casos em brasileiros só no ano 2017, além de resultar em 14.000 mortes.

O urologista destacou que, tamanha nocividade da doença está associada à sua fase inicial sem sintomas. Os sinais do câncer de próstata só aparecem quando a doença já está em fase avançada. Dessa forma, para garantir a cura, torna-se vital que os homens façam exames preventivos, como o toque retal.

Homens acima de 50 anos estão na zona de risco do câncer

Se para evitar o câncer de próstata é necessário realizar regularmente o exame do toque, há um grupo de risco que precisa ter atenção redobrada à prevenção.

De acordo com o Dr. Humberto Lopes, homens que têm histórico familiar de câncer de próstata precisam estar mais atentos ao exame, assim como negros e obesos, que também integram a zona de risco. Os homens que se encaixam na faixa de risco devem realizar o exame a partir dos 45 anos – caso não pertença ao grupo, o recomendável é visitar o urologista regularmente a partir dos 50 anos de idade.

“50% dos homens com idade entre 51 e 60 anos têm alto risco para desenvolver tumores na próstata. Aos 90 anos, esse índice sobe para 90%”, destacou Lopes.

24209163_1521958291185893_96729392_o

O exame do toque é o mais efetivo na prevenção contra o câncer de próstata

O toque digital prostático e o exame que mede o nível de antígeno prostático específico (PSA) no organismo masculino são os recomendados para que seja realizada a prevenção e/ou o diagnóstico da doença.

Vida saudável é fundamental para prevenir o câncer de próstata

O urologista também ressaltou que hábitos saudáveis são vitais para a prevenção contra o câncer de próstata.

Estima-se que 18% da carga de câncer são devidos à exposição a situações de risco, como tabagismo, dieta irregular, sedentarismo e consumo abusivo de bebidas alcóolicas.

O médico ainda ressaltou que, por mais que a maior incidência da doença seja em homens mais velhos, é fundamental que os mais jovens também consultem o urologista com frequência. No período de 2001 a 2007, os casos da doença em homens da faixa etária de 40 a 49 anos aumentou em 3%.

No encerramento, Lopes destacou que para manter uma vida saudável e, consequentemente, prevenir-se contra o câncer de próstata, os homens devem investir em uma dieta rica em vegetais, selênio, vitaminas D e E e Ômega 3.

Evento discute empreendedorismo e inovação na Zona da Mata

10 out
22345143_1470728182975571_270940131_o

Os empreendedores e rotarianos Antônio Rotondo e João Carlos Batista na abertura do 2º Encontro de Empreendedorismo e Inovação

Investir, inovar e empreender, o 2º Encontro de Empreendedorismo e Inovação reuniu 500 pessoas, entre empresários, empreendedores individuais e estudantes. O evento ainda arrecadou 210 kg de alimentos não perecíveis, para serem distribuídos pelo Rotary Club Juiz de Fora Norte à uma entidade de natureza filantrópica. Na ocasião apresentou-se o caso de gestão da Fazenda Penalva, dirigida por Manoel Teixeira Lopes. O evento ocorreu no dia 21 de setembro, no Gran Victory Hotel, organizado pela Treinar Gestão Empresarial em parceria com o SEBRAE-MG e a Rocha Lobo Gestão de Negócios.

João Carlos Batista, da Treinar, destacou que o objetivo principal do encontro foi o compartilhamento de informações que incentivam as empresas alavancarem seus negócios com empreendedorismo e inovação.

O evento ofereceu consultoria e orientação para aqueles que pensam em investir ou criar seu próprio negócio, gestores e entidades de classe. “Nesse evento os empresários e estudantes puderam conhecer exemplos tanto em empreendedorismo quanto em inovação, que mostram que eles também podem empreender e fazer diferente na região”, enfatizou João Carlos Batista.

Foram homenageadas entidades representativas de Juiz de Fora e região, como a Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora (ACEJF), Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e o Sindicato do Comércio (Sindicomercio)

A Fazenda Penalva, empreendimentos agrícola no município dirigido por  Manoel Teixeira Lopes foi apesentada como um caso de sucesso.

22385250_1470728142975575_251505603_n

O rotariano Manuel Teixeira Lopes exibe a homenagem recebida pelo case apresentado, sobre a Fazenda Penalva

Rotary no apoio ao empreendedorismo e a inovação

Um dos principais pilares do Rotary International é o Desenvolvimento Econômico e Comunitário.

22343792_1470728162975573_306581109_o

Integrantes do Rotary Clube Juiz de Fora Norte prestigiam o 2º Encontro de Empreendedorismo e Inovação

Para o rotariano João Carlos Batista, o “é fundamental, como rotarianos, incentivarmos a difusão do empreendedorismo. Desta forma estamos apoiando a geração de mais emprego e renda.”

Entre as principais ações estimuladas pela Fundação Rotária estão a capacitação de empresários e líderes comunitários para desenvolver a economia de comunidades carentes e o apoio aos estudos ligados ao desenvolvimento econômico e comunitário.

Empresas no combate ao Aedes Aegypti

21 set
Luiz Cavalini Jr., Fábio Pereira, Maria Aparecida Bara ( RCJFN), João Mattos da Secretaria de Planejamento da PFJ, Rodrigo Almeida, da Secretaria de Saúde da PJF, Alicério Campos e João Carlos Batista RCJFN)

Luiz Cavalini Jr., Fábio Pereira, Maria Aparecida Bara ( RCJFN), João Mattos da Secretaria de Planejamento da PFJ, Rodrigo Almeida, da Secretaria de Saúde da PJF, Alicério Campos e João Carlos Batista RCJFN)

Com a chegada da primavera, os termômetros passam a registrar temperaturas mais elevadas, bem como índices pluviométricos maiores. As gripes e resfriados dão espaço a uma ameaça ainda maior: o Aedes Aegypti.

O índice de infestação pelo Aedes Aegypti atinge valores elevados em todo o país e, em Juiz de Fora não é diferente: de acordo com dados da Secretaria de Saúde do município, Juiz de Fora tem um Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 4,8%. Infestações inferiores a 1% apresentam que a cidade está em nível satisfatório enquanto as superiores a 4% apontam que há risco de surto de dengue.

Diante de um cenário alarmante para os juiz-foranos, o combate ao Aedes Aegypti deve ser constante e necessita de mais envolvimento de todos os setores da população.

O Rotary Club Juiz de Fora Norte está abraçando a causa do combate ao Aedes Aegypti em Juiz de Fora. A iniciativa teve início em setembro passado e é retomado neste ano com a necessidade de trazer para a Opinião Pública o tema.

“O Rotary possui grande potencial para fortalecer a luta contra o Aedes Aegypti. “O trabalho que o Rotary pode desenvolver é grande, pois trata-se de expor ideias, incentivar a colaboração dos líderes e da sociedade e formar opiniões a respeito disso, para que as respostas apareçam para resolver o problema”, comenta, Maria Aparecida Barra, uma das entusiastas da campanha.

A partir das reuniões frequentes com os órgãos públicos, o Rotary Juiz de Fora Norte terá a oportunidade de planejar e realizar ações que ajudem a população a enxergar os riscos relacionados à proliferação do Aedes Aegypti e colaborar para que Juiz de Fora não viva uma epidemia a cada ciclo de ação do mosquito.

Plano de combate para as empresas

O combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do zika vírus é uma necessidade. É uma luta que não pode prescindir também a participação das empresas. Desde pequenos estabelecimentos de comércio até grandes indústrias e lavouras, todos estão sujeitos a, involuntariamente, abrigarem focos da doença.

Elizabeth Jucá, Secretária Municipal de Saúde, enfatiza a relevância da atuação das empresas no combate ao mosquito: “Como apontou historicamente o Levantamento do Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRa), 80% dos focos estão dentro das casas, comércios e empresas. Portanto, o papel de cada um no cuidado de seus espaços para evitar os locais propícios aos criadouros do mosquito é essencial.”.

Confira abaixo uma série de ações que podem ser implementadas nas empresas para o combate ao Aedes:

Infográfico

Aedes do bem

Juiz de Fora é a primeira cidade mineira e a segunda do Brasil a adotar a tecnologia do Aedes do Bem. O Aedes do Bem é um mosquito geneticamente modificado, para combater o inseto selvagem transmissor de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela urbana.

O inseto modificado (machos) são soltos no ambiente. Eles buscam e copulam com fêmeas originais do Aedes Aegypti e, assim, sus descendentes nascerão com um gene autolimitante, que faz com que morram antes de se tornarem adultos.

aedes do bem carlos mendoncapjf1

O Aedes do Bem será implantado, inicialmente, em três bairros, Vila Olavo Costa, Santa Luzia e Monte Castelo, beneficiando cerca de 10 mil pessoas. Foto: Carlos Mendonça/PJF.

Nos próximos anos, o projeto Aedes do Bem deverá ser ampliado para proteger cerca de 50 mil habitantes de Juiz de Fora.

O primeiro projeto foi colocado em prática em 2015, em Piracicaba (SP). Antes disso, outras experiências foram realizadas com sucesso em duas cidades baianas, Juazeiro e Jacobina.

%d blogueiros gostam disto: